Responsive image

RELATÓRIO DE TOUROS CANCHIM, MA E CHAROLÊS - Edição Outono 2018

METODOLOGIA

Para composição e análise crítica das amostras, utilizou-se o SAS- Statistical Analysis System (SAS Institute, 2002-2004).

As análises propriamente ditas, utilizaram a Metodologia de Modelos Mistos (Henderson, 1953), sendo adotado o Modelo Animal, considerando características múltiplas. As estimativas dos componentes de variância foram obtidas por meio do software REMLF90 (Misztal, 2008), a partir de amostras retiradas da população. O software que possibilitou a obtenção das predições das diferenças esperadas nas progênies (DEPs), foi gentilmente desenvolvido e disponibilizado pelo professor Dr. Lawrence R. Schaeffer (University of Guelph-CA), considerando os efeitos diretos e maternos para as características analisadas.

Na Tabela 1 são apresentadas, de acordo com sexo, as médias e desvios-padrão das características de crescimento (PN, PD e PS); de reprodução (PED, PES, IPP, ISP e PMD); e de avaliação subjetiva (CFD, CFS, PELD e UMBD).

Tabela 1. Estatísticas descritivas das características avaliadas.

Foi utilizado nestas análises o modelo animal completo, considerando-se a matriz de parentesco entre os animais e incluindo-se os efeitos genéticos aditivo direto, aditivo materno e de ambiente permanente e os efeitos fixos de grupo contemporâneo, de idade da vaca.e da interação entre a idade da vaca e o sexo do produto. Considerou-se ainda, como covariáveis, a idade do animal na data da medida e a consanguinidade. Na formação dos grupos contemporâneos foram incluídos os efeitos do sexo, do ano e da estação de nascimento (1=janeiro a março; 2=abril a setembro; 3=outubro a dezembro) da progênie, da fazenda na qual foi criada, do criador, do grupo genético e do regime alimentar.

Na Tabela 2 são apresentadas, de acordo com sexo, as médias e desvios-padrão das DEPs de todos os animais avaliados.